11 anos de Rede EBC! Fale connosco: +351 239100351 ou hello(at)ebc.pt Renew Europe Entrevista na TSF | Opinião | Sítio institucional Rede EBC.

Grupos

Recrutamento

Economia de Transição

Somos uma Rede Social, com mais de 6.000 membros, promotora do projeto ENERGizar.pt.

Misturamos essencialmente conceitos de Empreendedorismo Social com Modelos e Projetos de Desenvolvimento Sustentável (Permacultura, Transição, EBC, BCSD, B Corp) desde janeiro de 2009, porque como diz Peter Druker, a melhor forma de prever o futuro, é criá-lo!

Espécies perenes com interesse para Permacultura - Lista

Vamos fazer desta postagem um espaço para se discutir plantas perenes para comida, como frutos, folhas e raízes. Por favor, colaborem ao adicionar as vossas sugestões para novas plantas, e a vossa experiência com o cultivo destas, ou onde arranjar estas.

Vou escrever maioritariamente o nome inglês ou latim, visto em muitos casos não conhecer o nome português.

Se tiverem dúvida, pesquisem no Google ou na Wikipedia e encontrarão o nome português provavelmente. Para informações sobre o quanto a planta é comestível (ou outros usos), consultar www.pfaf.org

Também adicionei as espécies que cada um de nós procura, e não consegue encontrar.

FRUTOS:

hawkthorn (espinheiro alvar, crataegus), mulberries (morus,), amelanchier, chokeberry (aronia), elaeagnus, kiwi, cornus mas (corniso), crabapple, akebia, hippophae salicifolia, sea buckthorn (a maioria muito resistentes ao frio e inclusivé seca)

maracujá (alguma resistência ao frio e seca)

nativas de portugal: medronheiro, castanheiro, nogueira, amendoeiras, figos, e a alfarrobeira (muito adaptadas)

outras: chuchu, pineapple guava (feijoa, alguma resistência à seca), buffalo gourd (perene e resistente ao calor e seca, mas provavelmente não tanto ao frio)

Tâmaras (dates, muito resistentes ao calor e seca)

Macieiras antigas (mais adaptadas e resistentes): Alkmene, Ananas Reinette, Transparente de Croncels, Baumann's Reinette, Bohnapfel, Boiken, Danziger Kantapfel, Gravenstein, Jacques Lebel, entre outras...  espécie procurada

Árvores de fruto: citrinos, macieiras, figueiras, pereiras, ameixeiras e pessegueiros, gingeira

Tamarilho (tomateiro brasileiro, não gosta de solo arenoso)

BAGAS:

mirtilos (requer solos ácidos), amoras, framboesas, morangos, groselha, uva-urzina (resistentes ao frio e seca, uma vez estabelecidos), goji berry (semi-tropical)

FOLHAS:

resistentes ao frio: Ruibarbo, levístico (lovage), kale, urtigas, dentes de leão

resistentes à seca: moringa, saltbrush, bamboos, new zeland spinach (frequente em Portugal)

outras (a maioiria resistentes ao frio e secura): good king henry, espargos (resistente), cebolinho e cebolas perenes, walking onions, multiplier onions, allium ursinum (quase todas bem resistentes ao frio), crambe (cresce em solos marítimos, secos e pobres), perennial broccoli 9-star, turkish rocket, typha latifolia (planta aquática)

RAÍZES:

resistentes à seca: tiger nuts (cyperus esculenta) - espécie procurada

resistentes ao frio: skirret (sium sisarium), scorzonera, groundnut (apios americana - espécie procurada) 

resistentes ao frio/calor e seca: jerusalem artichokes

outras: chinese artichokes, yacon (apesar de tropical, renasce após o inverno e parte aérea tem alguma resistência ao frio; perdi a planta - espécie procurada), air potatoes e cinnamon vine (não sei o quão adaptadas serão em Portugal - espécies procuradas), earth chestnut e oca (espécies procuradas)

CEREAIS

cereais anuais com interesse: millet, quinoa, amaranto, sorgo (todas resistentes ao calor e seca), rye, barley, oats (mais tolerância ao frio)

Centeio siberiano (Elymus sibiricus) - espécie procurada

Indian ricegrass (cereal perene, dos EUA - espécie procurada)

Moutain rye (centeio perene - especie procurada)

Espécies FIXADORAS de nitrogénio (todas com partes comestíveis):

resistente ao frio/calor e seca: siberian pea

resistente à seca e calor: honey locust, chilene mesquite

ANUAIS:

resistentes a bolting: Vegetais chineses (pak choi, bok choi, choy sum, tatsoi, espinafre komatsuna) 

Outros vegetais menos usuais: aipo-rábano, salsify, couve rábano, rutabagas, rabanetes (muitos tipos diferentes), beringelas (algo resistentes a condições quentes e secas), funcho da florença, lentilhas (resistência ao frio e seca), batata doce (nutritiva, mas requer condições quentes e algo húmidas), chia (fácil de crescer, algo resistente a seca e calor, e muito nutritiva), snake e bottle gourd, luffa

Das plantas acima listadas, já experimentei cerca de metade delas. Podem obter conselhos sobre estas, perguntando nos comentários. Partilhem os vossos interesses e experiências igualmente!

ONDE ARRANJAR SEMENTES:

www.chilternseeds.co.uk (vários vegetais perenes disponíveis)

www.tamarorganics.co.uk e http://www.realseeds.co.uk

http://www.perennialsolutions.org/perennial-plant-seed-sources-cata... (têm uma lista de companhias que vendem sementes online nos EUA e Europa, e tem uma longa lista de perenes sugeridos)

http://b-and-t-world-seeds.com/ (têm espécies muito raras, mas é caro)

http://cantinhoverde.blogspot.com/2008/10/tuberculos-e-razes-comest...

http://www.agroforestry.co.uk (muitas espécies perenes disponíveis)

http://www.ebay.co.uk (muitas vezes encontram-se espécies raras)

http://www.arche-noah.at/etomite/ (este é um recurso muito bom, que conheci quando vivemos na Áustria)

Colhear para Semear

Em diferentes espaços de permaculturas e quintas biológicas (tentem também a Ervital em Castro Daire)

http://www.echonet.com(não tenho a certeza se vendem online)

http://www.edulis.co.uk (parece ser uma companhia nova, mas a lista deles é enorme)

Não me dei ao trabalho de investigar os resultados, mas uma pesquisa por "rare seeds" também resulta em companhias que vendem sementes raras e de espécies com muito interesse.

http://www.annadana.com (arranjei algumas sementes raras neste local na India, quando estive lá, mas não sei se vendem online)

http://thevegetablegarden.be/yacon.html (é um blogue mas têm uma interessante lista de perenes)

OUTRAS espécies que gostava de experimentar mas menos conhecidas seriam: Pigeon pea, Winged beans, Prairie Turnip, asimia triloba, hovenia dulcis, mespilus germanica, ceanothus, prickly pear (opuntia), jujube, tagasaste, mountain rye, tylosena esculentum, inga edulis, mashua - espécies procuradas

LIVROS: Cornucopia, Buried treasures tasty tubers of the world, Perennial vegetables (Eric), Plants for a Future, Sepp Holzer ´s Permaculture

Se puderem partilhem igualmente as vossas experiências tendo experimentado este tipo de comidas alternativas.

Exibições: 9307

Tags: floresta, forest, garden, jardim, perenes, perennials, permacultura, sementes, vegetais

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede EBC - Economia do Bem Comum | BEMCOMUM.net para adicionar comentários!

Entrar em Rede EBC - Economia do Bem Comum | BEMCOMUM.net

Comentário de Manuel Jesus em 9 outubro 2013 às 18:48

Procuro batata YACON, ou raízes das mesmas. Compro ou troco por TUPINANBOS.

Manuel Jesus

Comentário de Paulo Bessa em 2 agosto 2013 às 13:00

Ola Maria,

Aqui na Islandia tenho neste verao um vaso com uma moringa de 30cm la fora. Hoje de noite teve muito frio, -2°C e a moringa continua bem. E ontem teve geada 0°C e a moringa aguentou bem tambem.

Segundo o que me disseram as moringas podem perder as folhas se apanharem geada mas depois rebentam com forca quando vem calor. Elas nao gostam muito de tempo humido durante muito tempo. Sao plantas tropicais e gostam de calor e alguma humidade de vez em quando, mas tambem aguentam seca. Acho que elas aguentam bem o inverno portugues. O solo deve ter boa drenagem.

Comentário de Maria Silva em 2 agosto 2013 às 1:58

alguém por aqui  tem  experiençias   com as  moringas?   eu vivo na zona norte    e  tenho  5    moringas  já  grandinhas  e ainda  estão  nos  vazos,  mas  pelos  vistos  elas   são  cenciveis  ao  frio   gostaria  de  saber  qual o  mês   indicado   para as  plantar  na terra.

 

Comentário de Paulo Bessa em 19 julho 2012 às 0:55

Olá Benjamim, a maça siberiana (ou também chamada maçã da manchúria) produz muitas flores ao longo de uma longa época de floração. Li que é usada em pomares para assegurar que há pólen suficiente para fertilizar as variedades comuns de maçã. Mas a maçã da manchúria é uma variedade selvagem, que produz frutos bastante pequenos (do tamanho de uma cereja).

As cebolas caminhantes parecem-me uma boa alternativa às cebolas comuns, porque podem estabelecer-se num jardim sem precisar de as cultivemos todos os anos. Também me atraem a subespécie das cebolas multiplicantes (mas estas não tenho sementes). Eu cada vez mais me começo a habituar a comer mais  cebolinho (allium fistolosum e schoenoprasum), pois são mais gostosas, sabor mais suave e produzem mais, embora ainda usemos a cebola no método tradicional. A vantagem do cebolinho é durar ano para ano.

Acho que esta família dos alhos e cebolas tem muita coisa a oferecer. Já na Áustria comíamos muito o tradicional allium ursinum (alho dos ursos) que era perene que a cada primavera produz saborosas folhas com sabor a alho (mas suave). Muito bom em sopas. Ideal para crescer no solo de uma floresta.

Vê imagens das cebolas caminhantes a propagar-se:

http://3.bp.blogspot.com/_XMDDnMfIunM/TGVxkb9WAaI/AAAAAAAAABY/8fKjw...

E das cebolas multiplicantes:

http://www.veggiegardeningtips.com/wp-content/uploads/2007/08/potat...

Comentário de Benjamim Almeida Fontes em 18 julho 2012 às 22:39

Paulo Bessa,

Desenvolve um pouco sobre a maçã siberiana. Que quer dizer boa polinizadora para outras macieiras?

Eu sei que há plantas que precisam de outras plantas perto para fecundarem. É o caso?

Cebolas caminhantes? Tenho curiosidade em saborear essas cebolas caminhantes. A cebola é um  legume das nossas preferências que comemos todos os dias, ou cru, ou cozido, ou salteado.

A propósito de um outro legume que também aprecio mjuito, a abóbora, dei conta que a gila ou chila não pode estar ao lado de outras abóboras porque desenvolve-se muito rapidamente e impede as abóboras que estejam por perto de crescerem.

Boa noite para todos, especial para a islândia tendo em conta tanta lonjura.

Benjamim Fontes

 

 

Comentário de Paulo Bessa em 18 julho 2012 às 19:51

Gosto destas ideias.

Porém relativamente a mim, só mesmo desorganização informal, pois estando no estrangeiro é imprevisível saber quando vou a Portugal e quando posso trocar plantas (até porque não possuo carro em Portugal). Mas naturalmente admiro a ideia, e quero partilhar o que tiver.

Das espécies acima referidas, entretanto consegui germinar algumas (portanto isto é um projecto em completo inicio). Tenho mini-árvores de espinheiro maritimo (hippophae), amoreira (morus nigra), maçã siberiana (malus baccata spp.) que é uma excelente polinizadora para outras macieiras, e as árvores fixadores de azoto no solo: prosopis chilensis, gleditsia triacanthos e caragana arborescens, todas elas com sementes comestíveis (produzem muito, são mais usadas para gado) e são espécies muito resistentes à seca e calor, elaeagnus canadensis (frutos comestíveis semelhantes a cerejas e a árvore é muito resistente a seca, solos pobres e fixa azoto). Em espécies perenes mas sem ser árvores, tenho cebolas caminhantes (no fundo são cebolas mas perenes que reproduzem-se mais, sem precisar de qualquer atenção) e a raíz da sium sisarium (cheróvia em Português), e tal como tu Benjamim, a escorzonera, os espargos e o yacon. Espero poder ter no próximo ano, algumas destas mini-árvores em Portugal também (para já só tenho 2 ou 3 de cada), espero partilhar quando tiver mais. Porém, tem sido um trabalho para as conseguir fazer germinar!

Comentário de Benjamim Almeida Fontes em 17 julho 2012 às 17:09

Catarina S. Melo:

"Organização (desorganização será necessária quando a organização ficar muito mecanizada) formal  ou informal." Hoje em dia somos tentados a ter muita informalidade mas uma certa distãncia é necessária para termos tempo de aprendermos a lidar com as maneiras de ser muito diferentes umas das outras com pressupostos que por vezes podem parecer incompatíveis. Mas não são.

Veremos o que conseguimos no futuro. O sonho da permacultura pode ser interessante. No caso de o sonho ser o primeiro passo da realização de algo de novo na relação entre as pessoas tendo a produção autosuficiente de alimentos ( e outras componentes da actividade humana) como uma necessidade fundamental de todo o ser vivo.

A ideia de troca de produtos é interessante, Catarina S. Melo. Temos de começar por procurarmos encontrarmo-nos, nós os que fazemos agricultura deste nosso jeito. Os momentos exactos de encontro virão no seu tempo.

Paulo Bessa e amigos:

Espécies perenes ou que se ressemeiam com interesse para a permacultura na nossa herdadezinha de sao joao de ver:

FRUTOS:

espinheiro alvar ( árvore medicinal);

Pessegueiros (vários);

Temos um pessegueiro temporão carregado de pêssegos que foi semeado por nós e que se adaptou bem ao espaço.

Macieiras; Temos uma reineta que se adaptou bem e tem dado muitas maçãs; antes de a podarmos dava maçãs sem problemas. O ano passado não podamos, veremos se recuperamos a boa macieira que dava grandes frutos e sem bichado nem outras doenças.

Bananeira; com bananas de 10 centímetros de comprimento; como ter bananas maiores?

Gingeira; deu umas dezenas de gingas que ou foram comidas pelos pássaros ou cairam.

Cerejeira: não deu nada ainda.

Damasqueiro: idem,

Nespereiras: idem.

Laranjeira: começa a dar belas laranjas, mas sente a sequeira do solo arenoso que tem água corrente mas que tem de ser bem guiada para se infiltrar no verão em todo o terreno sem obrigar os proprietários a passar horas todos os dias a regar as árvores e as plantas.

Limoeiro; dão bem.

Nogueiras: ainda não deram fruto nos três ou quatro anos de existência.

Ameixoeiras: dão bem. Algumas estão em crescimento.

Morangueiros.  andamos a escolher a qualidade: temos o marangueiro selvagem que vamos meter nas camas altas para que percam o seu raquitismo genético.

Vamos tentar uma qualidade que muito apreciamos oferecidos por colega da "première" (lycée em França) de Orleans que cultiva à maneira comercial (frigorífico até julho, em terra até abril, maio, junho). Segundo ano são deitados fora.  

Diz-me o meu cunhado que o morangueiro gariguette é um morangueiro da sologne (uma zona florestada francesa que me é familiar das muiitas viagens em frança por razões familiares).

Plantas hortícolas que comemos todos os dias:

Vou experimentar cenouras, rabanetes conhecidos como legumes de antigamente em França.

Vamos a ver como se adaptam a esta herdadezinha. 

Deixem-me mudar de assunto. Só umas 5 a 10 linhas.

Assunto camas altas, aqui fora de sítio. Mas aí vai o que os da esfera da ciência chamam uma "anecdote", um facto não experimetado cientificamente. Semeei um rábano preto na primavera e colhi ontem um rábano sadio com as características normais da espécie mas  de 40 centímetros de comprimento. Minha interpretação: aumentei com a cam alta o espaço em profundidade para a planta poder desenvolver-se. E desenvolveu-se.

Abraço do tamanho do rábano preto.

norte de Portugal

Benjamim Fontes

Comentário de c.s.Melo em 17 julho 2012 às 11:58

Benjamim, melhor do que uma organização informal de amigos so mesmo uma desorganização formal entre amigos

Quem vier para as minhas bandas será bem recebido, se vier da cidade que me traga tábuas, janelas, portas coisas de construção, daqui pode levar plantas e coisas da montanha, quem sabe calhe ca vir em altura de fartura

Comentário de Paulo Bessa em 17 julho 2012 às 9:01

Além da batata doce, o taro costuma ser comum em lojas asiáticas que vendem vegetais. E os tupinampos costumam estar à venda em certas ocasiões em hipermercados. O resto é mais dificil de arranjar, a não ser em vendedores especializados ou na internet. No entanto dei Yacon ao Benjamim e espero que cresça para podermos partilhar com todos os interessados.

Comentário de Paulo Bessa em 17 julho 2012 às 8:58

É preciso distinguir as espécies. Batata doce, Yacon e já agora Inhame (yam), Tupinampos e Taros.

Batata doce são os tubérculos comuns no supermercado da espécie Ipomoea batatas. É uma planta rastejante que requer mais tempo que a batata para criar tubérculos e requer um clima quente e húmido longo.

O Yacon é a espécie mais rara Smallanthus sonchifolius. É uma planta alta que produz tubérculos enormes e sumarentos mas infelizmente quase sem amido (só fibra, portanto com poucas calorias). Também é uma espécie tropical mas pelo menos nas zonas temperadas em Portugal aguenta o inverno (morre a parte aérea). Também prefere um clima quente e húmido.

O inhame é o nome dado a várias espécies, geralmente de Dioscorea (air potatoes, chinese yam), que são trapedeiras agressivas que criam batatas aéreas e também subterrâneas., também subtropicais. O nome também é dado por vezes ao taro, é uma cultura vulgar dos países tropicais, um tubérculo tropical, mas que pode ser facilmente crescido em casa (que ainda por cima o nome taro também se refere a várias espécies similares mas mais comum é a Colocasia esculenta). Ambos são ricos em amido.

Depois os tupinampos (Helianthus tuberosus) são tubérculos primos do Girassol e parentes afastados do Yacon,que são nativos da América do Norte e comuns em países como a Alemanha, este crescem muito bem em quase qualquer clima, mas mais uma vez são mais fibra do que amido, portanto alimentam menos.

O que complica tudo é que estes nomes comuns são usados entre estas várias espécies, por vezes há quem chame inhame à batata doce, ou batata doce ao yacon, ao inhame ao taro, e batata à dioscorea.

Eu já cresci todas estas culturas excepto a dioscorea, quase todas são relativamente fáceis de crescer, mas gostam de calor e humidade. Ainda assim a batata é um dos tubérculos mais versáteis, daí que se tenha tornado vulgar. Para tubérculos que gostam de frio, isso fica para outro comentário futuro :)

Um abraço,

© 2020   Criado por BEMCOMUM.net.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço