BEMCOMUM.net Economia para o Bem Comum

Inovação Social, Empresarial e Política

13 anos de Plataforma BEMCOMUM.net! Fale connosco: +351 239100351 ou info(at)ebc.pt

Redefinir Bem Comum?

Economia de Transição

Somos uma Rede Social, com mais de 6.000 membros, promotora do projeto ENERGizar.pt.

Misturamos essencialmente conceitos de Empreendedorismo Social com Modelos e Projetos de Desenvolvimento Sustentável (Permacultura, Transição, ECGBCSD, B Corp) desde janeiro de 2009, porque como diz Peter Druker, a melhor forma de prever o futuro, é criá-lo!

Informação

Transição Portugal

A Permacultura oferece uma visão, princípios éticos e de design, combinações inovadoras. A Transição, oferece acção, um método, para a mudança cultural e social.

Local: Portugal
Membros: 168
Última atividade: 19 Abr, 2020

Vídeos do colóquio "Transição para uma economia e cultura pós-carbono"

Fórum de discussão

DISPONIBILIZO TERRENO

Iniciado por Antonieta Lopes 24 Out, 2015.

Os 12 Passos da Transição 2 respostas 

Iniciado por BEMCOMUM.net. Última resposta de Lourenço José de Almada 18 Jul, 2013.

Oportunidade de Transição 6 respostas 

Iniciado por Vera Filipa Ripley. Última resposta de BEMCOMUM.net 25 Maio, 2012.

Transição para uma Economia e Cultura Pós-carbono 29 respostas 

Iniciado por BEMCOMUM.net. Última resposta de BEMCOMUM.net 18 Mar, 2010.

Como Estabelecer sua Iniciativa de Transição – os 7 “Mas” 16 respostas 

Iniciado por BEMCOMUM.net. Última resposta de Robin Clarke 21 Set, 2009.

Apresentacoes de powerpoint sobre 'Peak Oil', 'Climate Change' e 'Transition' 26 respostas 

Iniciado por Tomas Marques. Última resposta de BEMCOMUM.net 30 Ago, 2009.

Pastoreio Racional Voisin (PRV) 1 resposta 

Iniciado por Filomena Nunes. Última resposta de Pedro Franco 20 Ago, 2009.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Transição Portugal para adicionar comentários!

Comentário de Incitador em 23 abril 2010 às 19:51
ManuelJ,
A sociedade ocidental não está preparada para constatar verdades tão duras. Pergunto-me, como será possível convencer, por exemplo, o povo americano a adoptar um estilo de vida que se aproxime do de Cuba. De livre vontade, não acredito que alguma vez o faça...
Comentário de ManuelJ em 21 abril 2010 às 20:00
Amigos
Como ouvimos no colóquio, a implementação de um movimento de transição obriga a mudar de paradigma de vida, a mudar para um modo de vida mais sustentável, o obrigando por isso a um grande esforço humano. Foi dito que em Totnes se criaram os Home Groups para auxiliar as pessoas nessa mudança, grupos que aplicavam uma metodologia equivalente à dos alcoólicos anónimos, tal é a nossa dependência deste sistema.

Pois a ONU estabeleceu o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH, consultar a wikipedia) e considerou que o mínimo aceitável seria de 0,80, e que o máximo de biocapacidade da Terra é 2,1 ha/pessoa (pegada ecológica)
Estas duas grandezas estão representadas no diagrama que envio, sendo que uma das áreas definidas pela intercepção destas duas rectas (em cima à esquerda, a verde no diagrama) é a zona de sustentabilidade do Planeta, ou seja, condições de vida acima de 0,80 mas utilizando menos de 2,1 ha/pessoa.
Pois nessa zona apenas se encontra um país e esse país é precisamente Cuba, que o mesmo é dizer que de acordo com a ONU, Cuba é o exemplo de como se deve estar na Terra. Sabendo nós que à luz dos nossos padrões, este pais não será propriamente um paraíso para se viver, este diagrama merece uma boa reflexão para nos prepararmos para o que aí vier.
Human_welfare_and_ecological_footprint,_criteria_for_sustainability...
Um Abraço :-))
Comentário de ManuelJ em 17 abril 2010 às 20:02
Fico muito feliz por ver que existe possibilidade de se traduzir o livro "Transtion Handbook" do Rob Hopkins. Pode ser a base da formação que precisamos para lidarmos com o tema da transição, pois toda a gente deverá ter acesso a essa informação de forma fácil. Por isso e para ajudar constituir um pacote base de informação com esse fim envio o link do video, já do conhecimento geral , mas agora legendado em castelhano "The Power of Community. How Cuba Survived Peak Oil" http://vimeo.com/8653921, desconheço da sua existência legendado em português. Na falta de melhor...

Um Abraço :-)
Comentário de ManuelJ em 16 abril 2010 às 0:01
Porque o tema do Climategate não pára, envio o post de hoje do Mitos Climáticos que apresenra a tradução de parte do Memorando do Institute of Physics ao Parlamento inglês, sobre este escandalo, fazendo recomendações. Este Memorando foi referido como vos transmiti, na tal conferência que vos dei nota. Porque se trata de um documento importante envio também o próprio Memorando.
MC_Institute of Physics.pdf
Memorandum submitted by the Institute of Physics.pdf
Comentário de BEMCOMUM.net em 8 abril 2010 às 13:45
Transition Handbook Discussion Course

TransitionHandbookDiscussionCourse.pdf
Comentário de ManuelJ em 5 abril 2010 às 23:31
Continuando com o tema do Climategate, recomendo a leitura de um artigo do Der Spiegel em inglês que faz uma abordagem extensa (8 capítulos) de toda a envolvente deste escandalo, e que corrobora o que ouvi, e vos transmiti, na conferência "A Conferência de Copenhaga e o Climategate”.

Passados 4 meses da denúncia feita na net e do acompanhamento deste assunto apenas pelos blogs, parece que finalmente os media estão a interessar-se pelo tema.

Um artigo a não perder:Climate Catastrophe
http://www.spiegel.de/international/world/0,1518,686697,00.html
Comentário de ManuelJ em 2 abril 2010 às 19:22
Como o prometido é devido, e como complemento da informação que vos passei, junto as notas que consegui retirar da conferencia “A Conferência de Copenhaga e o Climategate”.

Peço-vos que relevem a forma e algum conteúdo que esteja menos correto, pois não passam de notas manuscritas que se coligiram de pé durante cerca de duas horas numa sala pejada de gente.

Acrescento ainda e porque anteriormente não vos dei essa informação que na sala estava gente da Faculdade de Ciencias, do Instituto de Meteorologia, bloggers, pessoal da Assembleia da República (não conheci), enfim haviam por lá uns craqs, muitos, que revela a importância do evento para toda essa comunidade. Espero que o doc vos seja útil. Um Abraço :)
Notas_da_conferencia.doc
Comentário de João Jorge em 29 março 2010 às 15:59
Bom dia Calisto,

Penso que é este tipo de raciocínio que nos leva a encontrar as soluções...!

Quanto à tua pergunta pertinente, peço-te que aguardes, pois requer alguma reflecção e tempo. Em breve darei uma resposta!!

Obrigado.
Comentário de ManuelJ em 26 março 2010 às 15:04
Calisto

Talvêz faça sentido para melhor conhecimento da situação, recolocar aqui um comentário que fiz noutra discussão onde tento descrever a origem e o que é afinal o escandalo "Climategate", pois como eu na altura respondia ao João:

Espero sinceramente que no colóquio de Abril essas pessoas nos ajudem a perceber toda esta confusão que coloca no mesmo saco a ecologia, a poluição e o clima, fazendo-nos querer que são tudo a mesma coisa, e utilizando quer uma quer outra, conforme vai dando jeito.
Actualmente estamos perante a evidência de que o planeta não está a aquecer (os invernos são mais rigorosos e prolongados com formação de neve e gelo como há muito não se via, enfim, não vou agora entrar por este debate…), e por isso estamos em presença de uma mudança de discurso que antes se centrava no aquecimento global, e que só muito timidamente é agora mencionado, para um discurso centrado hoje na mudança climática, pois com facilidade se conseguem notícias diárias sobre ventos fortes (na falta de tufões), cheias (na falta de tsunamis), derrocadas (na falta de tremores de terras), etc. O que está agora na ordem do dia é portanto a "mudança climática", e por isso muito cuidado com o comer sem mastigar pelo mal que nos pode fazer, mal esse que se materializará com o estabelecimento de impostos (taxas verdes) sobre o vilão da actualidade, o CO2, imagine-se!

Só para se perceber um pouco melhor este tema e de uma forma muito simplificada, o debate sobre estes temas centra-se entre:
- os “alarmistas” que consistem no grupo de cientistas de universidades inglesas e outros, com grande apoio monetário para as suas “investigações”, com possibilidade de publicação dos seus trabalhos nas revistas científicas onde são validados pelos pares;
- e os “cépticos” exactamente com as condições inversas que acabámos de descrever.
Depois temos o IPCC, o organismo da ONU para o acompanhamento do aquecimento global no planeta que se alimenta dos estudos dos alarmistas para definir estratégias sobre esta matéria e propor a sua implementação aos estados (ou seja, influenciando indirectamente toda a Humanidade).

Acontece que providencialmente (vá-se lá saber porquê) aconteceu algo de muito significativo duas semanas antes da cimeira de Copenhaga onde se iria definir a regulamentação de toda a envolvente relacionada com o CO2, o vilão (nomeadamente um mercado global do CO2). Esse acontecimento foi precisamente a publicação na net de documentos e de dez anos de emails trocados entre os alarmistas da universidade de Anglia em Inglaterra. Esta documentação revelou haver muita trafulhice no tratamento dos dados, sendo que é precisamente neste ponto em que nos encontramos: a sua análise e discussão na net ao ponto de ter inviabilizado os “bons” resultados que se esperavam em Copenhaga em Dezembro passado. A toda esta tramóia deu-se o nome na net de CLIMATEGATE.

Actualmente existe uma grande e legítima preocupação na comunidade científica pelos danos motivados pela perda de credibilidade perante a sociedade, que este escândalo pode causar no mundo científico.

Por fim e para completar esta breve resenha sobre este tema proponho:
- a visita regular do site “Mitos Climáticos” e "Ecotretas",
- a leitura do texto (cheio de dados) “75 Reasons to be Skeptical of "Global Warming”" que se encontra neste URL, http://globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=17769
Leitura de uma entrevista de um céptico de renome.
Um Abraço
Perguntas e respostas do Prof Molion.doc
Comentário de BEMCOMUM.net em 24 março 2010 às 15:54
Excelente Manuel!

Se a memória não me falha vai estar em Pombal, dia 10 de Abril. Seria muito interessante ouvir a sua posição quando se falar em Alterações Climáticas. Pessoalmente, estudei com alguma obsessão a questão energética, sendo um grande nabo na climatologia...
 

Membros (167)

 
 
 

© 2022   Criado por BEMCOMUM.net.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço